Header Ads

Economia de Patos dá sinais de recuperação

Enquanto o Brasil e a Paraíba vivenciam uma crise econômica que tem afetado o bolso do cidadão, o município de Patos já dá sinais de recuperação em sua economia, levando em consideração o mercado formal de emprego.

Um levantamento feito pela Prefeitura Municipal de Patos junto ao Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e Emprego e ao programa Micro Empreendedor Individual, fontes oficiais da economia brasileira, mostram que após os primeiros seis meses de 2017, o município já ultrapassou a marca de 11 mil empregos, considerando que em primeiro de janeiro de 2017, o número de empregados vinculados ao CAGED era 10.826 trabalhadores e esse ano, o saldo no período janeiro a maio, chega a 283 empregos.

De acordo com o prefeito Dinaldinho Wanderley, que recentemente participou do XXIII Fórum do Banco do Nordeste de Desenvolvimento e do XXII Encontro Regional de Economia, na cidade de Fortaleza-CE, Patos é hoje um dos municípios que pode ser considerado a bola da vez para os investidores do Nordeste e do Brasil, principalmente levando em conta a população flutuante do município e os municípios que para ela convergem, em busca de produtos e serviços. “O nosso objetivo é facilitar a abertura de novas linhas de crédito para investimentos futuros, não só para o município, mas também para o setor privado, que tem um olhar todo especial para a nossa cidade”, comentou.

Dinaldinho citou como exemplo, as parcerias com órgãos oficiais como SESC, SEBRAE, SENAI e SESI, o surgimento de novas empresas como o Atacadão, Shopping Paraíba e Carrefour, além de outros empreendimentos que estão acontecendo na cidade, como o Nord Hotel, a Toyota e a ampliação das Faculdades Integradas de Patos-FIP, entre outros.  

De acordo com o levantamento, Patos bateu o seu Record histórico no saldo de empregos no CAGED, em 2014, quando terminou com 956 postos de saldo positivo. O número caiu para 340 em 2015 e -181 no ano de 2016, recuperando para 283 positivos em maio de 2017, um crescimento de 464. Já o número de cadastrados no Microempreendedor Individual-MEI, subiu de 2.379 empresas em dezembro de 2014, para 3.307, em 30 de junho de 2017, um crescimento de 928 empresas ou 39% no período. Em dezembro do ano passado, o número era de 3.155 empresas formalizadas junto à Receita Federal.

Para Dinaldinho, a possibilidade de abertura a novos investimentos em Patos, é de fundamental importância para avançar ainda mais em momentos de crise. “Precisamos descobrir e investir mais no terceiro setor, que aparenta ser a nossa principal vocação econômica”, finalizou.