Header Ads

'Depois do primeiro disparo não pararam de atirar', relata amigo de vítima em ação da PM


O corretor de imóveis Gutiely Pereira de Araújo, que dirigia o veículo alvo de tiro de policiais militares ao ser confundido com criminosos no Ceará, relatou à TV Verdes Mares que não freou o veículo na blitz policial porque não sabia do que se tratava. Segundo ele, os agentes de segurança não informaram que eram policiais e dispararam vários tiros contra o veículo. O caso ocorreu nesta quarta-feira (1º).

Outras três pessoas estavam no veículo; uma morreu e duas ficaram feridas. Gutiely Pereira foi o único que não foi atingido pelos tiros ou estilhaços. Eles eram competidores de sinuca, e os tacos foram confundidos com armas por uma pessoa que fez uma denúncia aos policiais.

José Messias, 35 anos, que estava veículo no morreu na noite de terça-feira (31) na cidade de Campos Sales, no interior do Ceará, quando viajava com um grupo de amigos para um torneio de sinuca no Maranhão. A vítima era natural da Paraíba.


"Como é que eu vou frear se eu não sei o que tá acontecendo? Eu não sei se eles vão me matar mandando eu parar porque eu não cheguei a ver os militares, cheguei a ver uma viatura com a luz acesa no percurso. Aí eu não parei, até porque não sabia que era para parar. Começamos a ser alvejados. Depois do primeiro disparo, não parava, não parava. Foi um negócio horrível, horrível, horrível."

A Secretaria da Segurança Pública informou que policiais foram verificar uma denúncia anônima de "homens em atividades suspeitas em um carro". Os militares foram até o local e avistaram o veículo na CE-371, iniciando uma perseguição. Segundo a nota da pasta, os policiais acionaram sinais sonoros, "mas o automóvel não reduziu a velocidade nem parou no posto rodoviário estadual de Campos Sales".

"Foi solicitado apoio de outras viaturas para montar um bloqueio policial na entrada da cidade de Campos Sales e o motorista do veículo acelerou em direção das viaturas, momento em que os policiais atiraram contra o automóvel", diz a secretaria. A polícia realizou buscas no carro, mas não encontrou armas.

"Quando a gente chegou lá [à zona urbana de Campos Sales] que eles pediram para gente botar a mão na cabeça para descer tudo. Eu desci do carro, me deitei no chão, coloquei a mão na cabeça e de imediato só vem na cabeça: 'Para de gritar, rapaz, aqui é todo cidadão de bem, pai de família'; aí ele: 'Desce do carro. Desce do carro'", relatou Gutiely Pereira.


De acordo com a Federação Paraibana de Sinuca e Bilhar, os jogadores viajavam para o 5º Campeonato Norte/Nordeste de Sinuca, neste fim de semana, em São Luís (MA). No trajeto, eles pararam em um posto de combustíveis para abastecer, lanchar, pedir informações e depois seguir viagem.

O competidor José Messias Guedes Oliveira, 35 anos, foi atingido na região do abdômen e morreu. Um outro jogador que estava no carro foi ferido de raspão no pescoço e socorrido em um hospital. O veículo foi atingido por diversos tiros.

Os jogadores registraram um boletim de ocorrência na Delegacia Regional do Crato, que é a plantonista da região, mas a investigação foi enviada para a unidade de Campos Sales. Nesta manhã, o delegado que investiga o caso ouviu pessoas que estavam no carro e outras testemunhas, mas não divulgou o conteúdo dos depoimentos.


G1 CE
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.